As células imortais de Henrietta Lacks.


12/03/2017
Para quem não conhece Henrietta Lacks passará a conhecer a mulher com células imortais, 
Dr. George Gey, era um geneticista e pesquisador em cancerologia ou oncologia. Ele ao ver o tumor de Henrietta, logo percebeu a importância que estava em sua frente.
"A história dela era simples: ela sangrava entre as menstruações, tinha dores abdominais, o que não é necessariamente um sinal de câncer", diz o médico. "Quando examinei o colo do útero, fiquei surpreendido porque não era um tumor normal. Era roxo e sangrava facilmente quando tocado."
Ela não sobreviveu ao câncer e morreu em 1951, com 30 anos de idade, mas o inesperado aconteceu e o médico retirou parte das células de Henrietta e guardou, esse fato gerou problemas para o hospital, porque o médico retirou sem autorização da família, o que gerou vários processos e até hoje a família quer obter os direitos do uso das células de Henrietta.

O problema é que o Dr, Gey usava células cancerígenas junto com sangue de galinha, para que as células doentes conseguissem sobreviver por mais tempo, mas o que acontecia era que as células morriam.
As células de Henrietta sobreviveram e duplicaram-se em 24 horas, o que antes não seria possível acontecer. Hoje essas células chamam-se células HeLA em homenagem a  Henrietta Lacks.
Hoje essas mesmas células estão pelo mundo ajudando em curas de doenças e câncer, porque as células conseguem se reproduzir e não morrem durante as pesquisas. Hoje essas células salvaram milhões de pessoas e são usadas na produção de vacinas.
Além da contribuição científica, muitos ganharam bilhões de dólares em produtos que foram testados em células HeLa. E tudo foi feito sem o conhecimento e consentimento da família de Henrietta Lacks.
Se você quiser ler o texto completo, por favor leia no link acima, meu comentário segue abaixo:

Achei interessante esse artigo, porque mostra que nós seres humanos, temos algo maravilhoso em nós nossa biologia, tão complexa e talvez  por isso alienígenas se interessam por nossa biologia. Atente-se que nosso corpo é uma biblioteca antiga ou clássica que já algumas raças alienígenas devem já terem superado, ou mesmo já perderam muito de nossa biologia com evoluções biológicas.
Esse  fato é algo que temos que compreender, pois muitas civilizações alienígenas já não tem a mesma capacidade que nós temos. Eu já comentei que as nossas células são mais velhas e podem representar um tipo de biblioteca viva em nossa galáxia. Pode ser que existam poucas raças como a nossa ainda em evolução.
Acredito que raças cada vez mais evoluídas devem perder dados biológicos durante a evolução. NO CASO DAS CÉLULAS HELA, AINDA POSSUEM GENES IMORTAIS DOS NOSSOS ANTEPASSADOS IMORTAIS, COMO NOÉ, ADÃO, ETC, ELES VIVIAM ATÉ 900 ANOS, E ISSO PROVA QUE EXISTIRAM PESSOAS IMORTAIS, PESSOAS COM CÉLULAS IGUAIS A HENRIETTA E ISSO ME DEIXA FELIZ PORQUE COMPROVA NOSSA DESCENDÊNCIA DE IMORTAIS.

Muita luz.