[Atualizado]Steve Boucher: conta seu caso de abdução.






21/11/2017
A tradução do tradutor do Youtube é ruim, então irei escrever toda a fala do Steve Boucher,mas quem saber inglês, não perderá os detalhes. Nota: as lembranças de todas as histórias foram conseguidas através de hipnose regressiva feita por pesquisadores do caso Steve Boucher, e como você já sabe não se pode mentir em hipnose, porque quem controla seus pensamentos é a hipnose.
Steve Boucher foi um caso que aconteceu em Ontário, Canada, sua história começa ao ler um livro em 1984, chamado Missing time, por Budd Hopkins:



Para ele o tema ovniologia não era uma coisa importante, mas ao ler o livro, abriu sua mente. Notou um paragrafo no final do livro que dizia: se você tiver alguma experiência parecida com a que estão neste livro, escreva e eu contatarei algum pesquisador em sua área para ajudá-lo. Então decidiu escrever uma carta para o autor do livro.
Steve notou ao ler o livro, lembranças muito rápidas de eventos que aconteceram com ele, mas que havia esquecido. 
Uma das lembranças, foi quando ele voltava à noite com seu pai de uma cidade. Lembra que tinha de 5 a 6 anos de idade, e nos carros da época tinha uma abertura por onde dava para ver o céu. Notou que uma luz os seguiam pela estrada e se aproximava do carro lentamente.
Steve perguntou ao pai: o que é aquela luz?
-Que luz?
-Aquela ali.
O pai de Steve olhou para a luz.  Agora a luz estava muito próximo do carro, na altura das árvores e com velocidade correspondente ao carro.
Steve perguntou novamente o que era aquilo, e o pai estava em pânico e disse: fique quieto.
Percebeu que o pai começou a acelerar o carro para escapar da perseguição, mas não tinha como pois o objeto igualava à velocidade do carro. Steve notou que não havia ninguém mais na estrada.
A nave avançou à frente do carro e desceu na estrada. Steve não sabe se o carro parou porque o motor havia parado de funcionar ou se o pai dele havia freado o carro.
A nave ficou em frente do carro, no meio da estrada. A luz da nave era tão forte que parecia a iluminação do sol durante o dia. O pai de Steve disse:

-Não saia do carro e fique abaixado para que eles não o vejam! Vou sair e ver o que eles querem. Dois seres saíram da nave e ficaram olhando para a direção do carro e o pai dele foi na direção dos seres. Steve era um garoto curioso e queria saber o que estava acontecendo.
Steve observa seu pai com os dois seres. Notou que os seres eram muito diferentes dos seres humanos. A curiosidade fez ele ficar no banco da frente do carro e logo saiu do carro em direção do pai. Para que os seres não vissem a criança, o pai tentou ficar sempre na frente de Steve, empurrando-o para dentro do carro, sempre de frente para os seres.
Os seres perceberam a criança.  Steve telepaticamente ouviu o que o ser disse ao seu pai sobre a presença da criança, e o pai riu e disse: esse é meu garoto. O pai de Steve, olhou para ele e disse: fique no carro!
- Mas eu quero ver!
- Volte para o carro e 
O ser disse que cuidaria da criança para ele.
O pai disse aos seres que eles deveriam voltar na viagem. Neste instante o ser que estava conversando com o pai, olhou para o outro ser como se mandasse que pegasse a criança. O outro ser foi em direção de Steve pegou em sua mão e o colocou dentro do carro. O pai ficou preocupado com o que iria acontecer ali.
Steve entrou no carro junto com o ser que sentou-se no banco do motorista e fechou a porta e olhou para Steve e começou a fazer perguntas:
-Como esse veículo funciona?
-Pisa em um pedal para frente e o carro move e pisa no outro pedal e ele para.
-Sim, perfeito.
Depois ele ficou segurando o volante tentando entender como funcionava e perguntou: Para que serve isso?
-Para mover o veículo naquela direção ou na outra.
Ele disse: perfeito.
Aí ele apontou para o rádio, nesse instante Steve percebeu que seu pai não estava mais na estrada, e provavelmente foi levado para dentro da nave.
-O que é isso?
-É um radio, por onde escutamos músicas e pessoas falando.
-Espantado com a resposta perguntou: você pode falar através dele?
-Não, só funciona para receber sons.
-Ele disse: Ok. Como você liga o veículo?
-Você tem que colocar a chave ali e ligar.
Steve notou que o ser estava mantendo-o ocupado. Estava sendo uma forma de babá para ele.
O ser manteve Steve ocupado por uns 20 minutos, enquanto o pai estava na nave.
O ser perguntou se ia na escola e Steve respondeu que só quando tivesse idade. Isso o lembrou que ele só poderia ter 4 anos e não 5 ou 6, Porque as crianças nos EUA começam a pré-escola mais cedo.
Steve viu seu pai sair da nave com o outro ser, e percebeu que conversavam.
Nesse instante o ser que estava com Steve olhou para o líder e acenou para ele afirmativamente e virou-se para o menino e disse: tenho que ir agora.
-Steve perguntou se ele poderia ficar mais um tempo e o ser falou: talvez por mais um minuto só. Mas o ser que estava com Steve ao olhar o líder novamente, fez um movimento com a  cabeça, em afirmação.
-Não posso ficar mais, tenho que ir.
O ser saiu do carro e passou pelo pai de Steve que vinha na direção ao carro.
Eles viram o disco voador subir e ir embora. Fizeram o mesmo em direção a casa deles, mas novamente a nave reapareceu na frente do carro, e o pai de Steve disse:
- O que querem agora?
O ser veio até o carro e apontou para baixo mostrando que queria que ele abaixasse o vidro da janela do carro, e foi o que ele fez.  O pai de Steve perguntou ao ser: O que foi?
-Você esqueceu seus óculos.
O pai de Steve colocou os óculos e agradeceu ao ser e a nave foi embora e os dois retornaram à viagem para casa.
Outro evento aconteceu quando Steve tinha 16 anos, quando tinha uma banda de música, e quando voltavam de um show em um hotel perto do Grand Lake, onde davam shows constantemente. 

Estavam indo embora do Hotel quando um rapaz apareceu, vestindo jeans e uma jaqueta e tinha cabelos longos abaixo dos ombros, perguntou:
-Vocês estão indo para St. Catherines ?
-Sim, vamos.
-Vocês me dão carona até lá?
Tom [baterista da banda] aceitou e disse para que ele sentasse atrás onde estavam os instrumentos.
Então duas pessoas ficaram nos acentos na frente da van Tom e Sam,  na parte de trás Steve , Calvin e a namorada do Tom: Ann Marie
A avenida em direção a St. Catherine estava fechada, então usaram uma estrada vicinal que logo depois poderiam retornar à estrada principal.
Estavam todos conversando quando de repente Tom parou  a van.
- Por que você parou, Tom!
- Vocês terão que ver isso, porque se eu disser não irão acreditar.?

Todos olharam por cima dos acentos e viram uma nave parada na frente da van. Mas Tom havia parado em um local onde eles não estariam vendo eles.
Steve disse que poderia ser que estivessem fazendo algum filme por ali. Três horas da manhã, porque iriam fazer um filme nesse horário.
A nave tinha luzes movendo-se para um lado e outro e os fachos de luz movimentavam-se no chão. Havia janelas ao redor da nave. Então, resolveram voltar na estrada e pegar outro caminho.
Tom começou a dirigir e mudar de direção, só que notaram que o carro não virava.
- Não consigo virar o carro.
-Como não estamos virando?
-Vejam! 
Tom girava o volante para todos os lados e nada do carro virar. Tom parou de girar, o volante quando não tinha mais movimento, e chegou a fazer um barulho de quando a roda vira quase totalmente. O carro continuava indo em direção a nave. Steve notou que o carro parecia estar flutuando, pois não sentia a trepidação da estrada.
Steve gritou: pisa no freio!
Tom disse: estou pisando!
Todos ficaram em panico, pelo fato da situação, e porque a velocidade era alta e parecia que iriam bater na nave. Até que o carro parou e todos gritavam de medo e pavor quando Sam disse: Calem a boca, parem de falar!
Sam tentou acalmar a todos dizendo: vamos ficar quietos e quem sabe nos deixem em paz. Eles sentiram que estavam grudados na poltrona do carro, não podiam mexer o corpo, talvez pelo medo e a tensão que estava dentro da van.
Todos estavam quietos, até que Tom disse: oh não!
-O quê?
-Eles estão saindo da nave.
Steve disse que queria ver, e Tom disse: fique abaixado.
Steve perguntou: Como são?
-São pequenos.
Steve podia escutar eles andando ao redor da van. Eles não tentavam abrir as portas, pois fecharam todas as portas. ele viu o perfil de um dos alienígenas pela janela de trás. Aquilo chocou Steve que gritou: vocês viram aquilo?
-Shiiiiiiii! Todos ao mesmo tempo. Steve falou mais baixo: você viu aquilo?
Ann Marie disse: vi!
Eles tentaram abrir a porta de trás, e Steve estava procurando algo para bater no alienígena. Mas algo aconteceu, o rapaz que estava de carona, abriu a porta do carro e tinha 3 seres ali naquele local. Foi quando um dos seres, provavelmente o líder, centrou dentro da van. Eles eram pequenos porque nenhum dos ocupantes da van conseguiam ficar em pé, mas o ser ficou em pé.
Steve notou que estava paralisado.
Logo ouviu uma voz dizendo: me desculpe, mas tivemos que paralisá-los temporariamente, por que estou pensando na segurança da minha equipe, porque estão tendo pensamentos de violência.
-Nós não queremos ferir ou machucar ninguém. O que queremos é fazer alguns testes em 3 de vocês[aqui ele fala 3 mais Steve]. e os traremos de volta e vocês poderão ir embora.
Eles escolheram o caronista, Calvin, Tom e Steve. Nesse instante, Steve sentiu medo porque ele o escolheria, e algo dentro dele dizia que seria ele o quarto a ser escolhido. Steve pegou seus instrumentos de sopro o qual não se separa nunca.
Eles ficaram em fila indiana ao lado do carro e o ser disse: olhe sempre em frente, na nuca da pessoa à sua frente. [Nós entramos na nave como uma unidade flutuando acima do chão, notou Steve]. Não olha para direita ou esquerda e olhe sempre em frente. E quando entrarem na nave não toquem no hall!
O líder ficou na frente e o outro ser no final da fila. Eles subiram do chão e começaram a se mover flutuando em frente. Steve ficou curioso e descobriu que ao olhar para a direita a fila parava, a mesma coisa se olhasse para a esquerda e quando olhava para frente o movimento continuava em frente. O ser não virava apenas Steve virava o rosto testando sua descoberta. Os quatro homens e os dois seres estavam atingindo as escadas, o movimento mudou seguindo o ângulo da escada, nesse instante ao subir, a ponta do dedo anelar de Steve bate no hall. Ele sentiu que era alumínio. O baterista era bem alto e como a entrada da nave era baixa ele bateu a cabeça na entrada e os seres perguntaram se havia machucado. Disse que estava bem, mas  ficou bem tonto[disse Steve, sorrindo]. Quando ele tocou o hall com o dedo anelar, ele sentiu após duas semanas  do ocorrido, uma queimadura no dedo que ficou por vários meses depois.
Eles pediram que nós tirássemos a roupa para fazer os testes. Eles ficaram de cuecas e começaram os testes. Steve sentou em uma espécie de cadeira, que não tinha rodas e foi levado em outra área da nave.
Steve notou que havia uma mesa com ferramentas cirúrgicas.
E estava pensando em pegar alguma coisa para mostrar para alguém, qualquer coisa, pois ninguém iria acreditar em sua história. Então, Steve notou um tipo de botões redondos na cadeira e foi virando até que conseguiu arrancar um. Retirar o botão foi fácil, então aonde colocar o pino. O ser voltou até o Steve e disse: vamos começar os testes...Mas o ser o olhou de forma estranha  e perguntou: você pegou alguma coisa, afirmou!
Steve notou que não podemos esconder nada desses seres. Eles leem  pensamentos.  Steve mostrou a mão com o pino e o ser pegou o pino de sua mão e disse: você não pode ficar com isso!
-Por que?
-Porque não temos permissão para deixar nada aqui.
Um outro ser que estava ao lado disse: por que não deixar ele levar?
-O líder disse: nós não podemos deixar ficar nada com eles.
O ser trouxe uma forma de tela, e um tipo de caneta com uma luz e mostrou em si mesmo, onde era possível ver o osso abaixo da pele, e isso Steve notou ser mais estranho ao colocar em seu braço e que foi possível ver músculos e veias, era possível ver a pulsação sanguínea. Steve notou algo estranho, e foi o fato de que não pode ver músculos, veias ou mesmo pulsação sanguínea no alienígena. Algo que o deixou pensando. Depois fez a mesma coisa em seu estomago que ele conseguiu ver em um painel no alto.
O alienígena, mostrou para ele um painel com uma espiral em preto e branco e pediu que olhasse para ela, é claro que o movimento o faria dormir, mas Steve evitou olhar até que o ser disse: você precisa olhar. Ele ficou olhando e perdeu a consciência.
Ele acordou e sentiu que havia tido um sono profundo.
Todos estavam bem e agora vestiam suas roupas.
Haviam dois seres em frente aos abduzidos e um deles disse: agora é hora de vocês fazerem perguntas. Steve esperou os rapazes perguntarem, pois estavam fazendo perguntas mais comuns, sobre de onde vieram, etc. Eles mostraram um mapa com várias constelações e apontaram de onde vieram. Alguém perguntou se eles tinham bases aqui na Terra. E ele apontou que havia uma no lago Ontário.

Steve queria fazer uma pergunta, algo que os outros não fizeram e que fosse realmente importante, pensou e disse: qual a verdadeira religião na Terra?
Os seres se olharam e ficaram surpresos com a pergunta de Steve.
-Por que você nos faz uma pergunta como essa?
-Como vocês são tecnicamente mais avançados do que nós, vocês podem ser mais socialmente avançados e mais espiritualmente avançado também, se alguém pode dizer que a melhor e mais correta religião na Terra, seriam vocês.
Eles parecem ter gostado da resposta de Steve e disseram:
-Não há religião verdadeira na Terra. E disse que as perguntas terminaram. Steve ficou apreensivo e queria mais explicações sobre essa resposta.
O alienígena respondeu: nós já dissemos muito à vocês.
O baterista não tirou a roupa para os testes e não parecia querer cooperar com os alienígenas, e nem o alienígena conseguiu convencê-lo, os alienígenas perguntaram se ele ficaria ali até os outros terminarem e ali ficou até serem agrupados novamente.
Quando estavam descendo as escadas da nave, o líder colocou a mão sobre o ombro de Steve e disse: espere um minuto! Depois disso ele perdeu os sentidos novamente, e quando recuperou viu a silhueta do líder na porta da nave.
Steve disse que são Greys, porque o que era bem notado: os grandes olhos que saiam da frente da cabeça e continuavam até a lateral do crânio. Mostrava que tinha visão periférica muito boa.
Steve ficou olhando aquele ser e sentiu uma grande vibração de amor que nunca sentiu antes. Steve disse que ele queria dizer alguma coisa com aquele gesto, mas sentiu que estava ainda sobre o efeito da hipnose.
Steve sentiu que apesar de não conseguir lembrar-se de tudo, ele sentiu que o ser disse que no futuro Steve ajudará muito a sua família, mas não consegue se lembrar de tudo. Notou que parecia que estava chorando ao ver o ser. Steve penguntou-se: por que estava chorando?
Depois  lembrou-se de um evento, de que o ser havia dito algo para Steve: você quer nos mostrar algo para nós?
Steve queria mostrar suas flautas doces, e pela primeira vez o alienígena tocou algo em que pode sentir a força do alienígena, e notou pela primeira vez as suas mãos, que não eram algo de imaginação. Os dedos eram compridos e as unhas como garras, bem parecido com garras de répteis. Steve ficou com medo das mãos do alienígena e não queria nem mais lembrar sobre isso.
Ao puxar a flauta da mão do alienígena, sentiu que ele era sólido e não um corpo sem densidade. Steve tocou a flauta e o alienígena quis fazer uma tentativa para tocar algo.
Steve ficou espantado com uma reação do Grey que foi colocar a ponta da flauta no nariz e não na boca, como ele esperaria. Ele colocou nas narinas para tirar o som da flauta.
Muitos anos depois Steve teve a resposta: ao ler o livro do pesquisador  Leonard Stringfield, sobre a autopsia de um ser alienígena, Um documento diz que os Greys não tem esofago na forma que nós seres humanos temos. A boca é uma forma de bolsa, que não tem ligação com um estomago como nós seres humanos. Isso quer dizer que alienígenas Greys não respiram pela boca, apenas pelo nariz, por isso colocou a flauta no nariz. Sentiu que não seria a última vez que os veriam, e que haveriam muito mais vezes.
Steve sentiu um pouco como fosse ser abandonado e seguiu em direção ao carro. Percebeu que todos estavam como em animação suspensa e quando entrou no carro todos começaram a ter movimentos.
Ao chegar no carro Tom disse para Steve: nós todos concordamos em não dizer nada para ninguém e se você disser nós todos iremos dizer ao contrário e você irá ficar como um idiota.
Todos viram a nave ir em direção ao Lago onde a base deles existia.
Steve  logo depois que teve a abdução ouvia uma voz dizendo você irá esquecer tudo que viu. Mas Steve pensava em sua mente, que não que isso iria ficar em sua mente para sempre.
[Atualizado]Estou fazendo um outro artigo, para explicar a minha mudança de opinião do caso de Steve Boucher, que para mim é um dos melhores testemunhos sobre alienígenas e você saberá porque!