[Atualizado]Viagem astral: Vimanas e futebol Maia.


03/02/2018
[Atualização em azul]Agora o meu terceiro olho está abrindo com mais facilidade do que antes, pois tive viagens astrais pela noite: viagens astrais espirituais  e quando acordo viagens astrais lucidas. Entenda,  não quero mostrar para que sou melhor que ninguém, mas apenas o que acontece com o terceiro olho e como é possível perceber isso. Muitas pessoas acham que sou metido por ter essas visões, mas na verdade as pessoas que pensam assim não percebem o egoísmo nelas mesmas, pois todos nós somos iguais, temos o mesmo DNA o mesmo cérebro e cada pessoa usa de acordo com sua própria realidade. Eu uso de forma mais espiritual do que buscar sempre a lógica.
Eu sempre trabalhei minha mediunidade, faço meditação constantemente, não sou cético e confio em minha própria intuição. Na verdade as pessoas que não conseguem isso é porque não se dedicam com firmeza ao processo de abertura espiritual, ou são pessoas céticas demais e vivem se criticando. A pessoa cética não consegue nem ler o que escrevo, isso porque ela sempre acha que as visões vem da nossa mente e não de algo superior. Um erro que nos remete ao escravagismo da mídia e da ciência da lógica.
Algumas pessoas não conseguem ter a pineal ativada, porque não se exercitam. Leva um certo tempo para que isso aconteça: estou desenvolvendo a pineal desde 1991 são quase 27 anos de trabalho e DESCOBERTAS. Desde meu ceticismo até a confirmação em 2007, levei 16 anos para entender que estava em um processo de abertura espiritual e comecei a desenvolver mais vigorosamente a partir de 2007, sendo que se a pessoa não desenvolve ou acredita em si mesma, nunca atingirá um nível alto para ter visões do terceiro olho, mas tem um detalhe que ninguém sabe: para ter visões com muito mais força precisa ser ascético e ser celibatário.[Creio que para alguns isso seja impossível, mas trabalhar a sexualidade e preservar sua energia vital é importante para manter o terceiro olho ativo.]
A viagem foi na Índia muitos anos atrás e em uma cidade Maia. 
Na índia, estava em uma escola que ensinava pilotar Vimanas.




Um Vimana é uma carruagem usada por deuses da Índia. [Deuses quer dizer: alienígenas]
Como não sabia aonde estava, eu apenas estava em corpo astral projetado e a gente age como um boneco[É BEM PARECIDO COM UMA *CANALIZAÇÃO] É como se você estivesse em um filme ao vivo. A história era essa: o corpo em que estava [pode até ser de minhas vidas passadas, mas não posso saber sobre isso apenas vivi aquela cena], nessa escola haviam vários alunos, vários anciões indianos com a roupa e turbantes brancos e bem coloridos. Alguns com uma roupa de um azul bebê e os alunos de roupa branca e todos descalços. 
*Canalização é um processo muito parecido com mediunidade, e apesar de muitos incrédulos tentem destruir a canalização dizendo que são coisas da mente, o que é falso e mentiroso, pois a canalização é uma conexão física com o plano astral e espiritual. Existem pessoas que tentam destruir criando um tipo de conceito que a canalização é um "cavalo de Tróia", mas hoje tudo que nós vemos é cavalo de Tróia: a mídia é uma forma de cavalo de Tróia. o Youtube é um "cavalo de Tróia" e assim vai, tudo em nossa vida é uma forma de "cavalo de Tróia", um professor usa esse conceito para ensinar. A canalização é uma forma de ensinar as pessoas a serem mais evoluídas e buscarem um novo caminho para suas vidas. Portanto, esse conceito bobo de "cavalo de Tróia" cai por terra. Canalização é uma informação, uma forma de conscientização. O mundo não irá mudar se ficarmos vivendo nesse conceito bobo que tudo é "cavalo de Tróia".
Voltando à minha viagem: um mestre escolhia alguns dos alunos para que fizesse a ignição do Vimana. Haviam muitas pessoas na sala que era muito grande,  arredondada, com duas hastes no centro: uma mais alta e outra mais baixa. Cada uma acionava um  controle separado: um de ignição e outra para manter a nave reta. Sabia que quem fosse pilotar teria que ser bom no que fazia pois poderia matar a todos dentro do Vimana.
A aula era um treinamento, mas com consequências mortais, pois se o Vimana não subisse de forma correta ele explodiria. Não sei que tecnologia era essa, mas sem dúvida era uma tecnologia alienígena.
Sabia o que fazer: tinha que soltar uma trava e deixar ela descer devagar e depois que a trava descesse completamente, tinha que segurar um tipo de manche  como de um helicóptero. Qualquer deslize seria mortal.

O que aconteceu logo a seguir foi algo muito assustador, pois um dos anciões apontou o dedo para mim e fizesse a manobra. Nesse instante um dos professores logo começou a gritar e dizia na língua que não entendia, mas dava para entender pelos berros que ele dava: esse rapaz não pode fazer isso![Detalhe se errasse todos iriam morrer ali!] 
Então, fui para o local do piloto que ficava em pé em frente ao manche e do lado da haste de ignição. Então comecei a deslizar a haste da ignição para baixo lentamente, mas o professor gritando feito doido e desesperado, que não iria dar certo, pelo que estava entendendo naquele momento.
Logo que a haste da ignição desceu, lentamente, senti uma trepidação forte abaixo de mim, como se estivesse em cima de uma panela de pressão. Um turbilhão em ebulição. [Acredito que seria como duas turbinas com elementos líquidos que ao entrarem em contato uma com a outra,  provocavam um tipo de combustão que era enviada para a turbina logo abaixo, que impulsionava o Vimana para cima. ]
Neste instante, o desespero do professor aumentou e logo parou de falar e gritar, pois aquele ancião que havia apontado para mim estava com um sorriso de alegria e de saber que estava fazendo corretamente meu serviço. O professor parou de gritar e as pessoas  olhando com um sorriso [um misto de alívio e de alegria]kkk
Agora tinha que segurar o manche reto, sem movimentar muito para os lados. Praticamente segurar e manter firme era a ideia. Isso porque a ignição e o controle do Vimana poderia ser feita por dois pilotos, não sei se era assim, mas pelo que vi na sala não havia nenhuma janela para ver o que estava acontecendo lá fora. Os Vimanas eram como navios. Existia a casa de máquinas e a sala de controle, duas coisas diferentes. Uma que controlava o Vimana sempre reto e para cima e para pousar e uma outra para dirigir.
O capitão é que levava o Vimana para onde queria. Tinha que ter um controle para ficar ali segurando bem firme. Acho que passei no teste pois todos ficaram felizes. Foi auspicioso[como um indiano diria.] Durante minha pesquisa descobri algo que pode elucidar a batalha que eu vi na viagem. De acordo com um texto que encontrei a batalha foi entre dois deuses em Dwarka, uma cidade que desapareceu ou afundou em uma batalha com armas nucleares e armas de grande poder. Lord Krishna e o Rei Shalba. Lord Krishna foi atacado pelo Rei Shalba. Na imagem abaixo existem ruínas no fundo do mar que justificam essa guerra. Para entender esses dois deuses eram ANNUNAKIS. Essa batalha se deu para o domínio da Terra entre esses dois alienígenas ou deuses.  Lord Krishna morreu e junto sua cidade afundou no mar.  A viagem sobre isso não é a primeira vez que tenho, uma vez eu vi o Lord Krishna e ele tinha pele azul mesmo. Eu tenho uma ligação com os Anunnakis e muitas de minhas viagens tem a ver com eles, inclusive a outra que contei anterior a essa. E tenho um pressentimento que eles estão chegando! 
https://contatoalienigena.blogspot.com.br/2013/01/lord-krishna-batalha-contra-alienigenas.html





Depois vi imagens da guerra que é contada no  Mahabharata: o legal de ver algo que aconteceu, parece como um sonho, mas eram vídeos de batalhas entre homens com roupas pretas e espadas e arcos de flechas "hightech".  Não eram arcos e flechas como vemos em filmes, mas tecnologia alienígena como se as espadas e arcos fossem copiados de armas que já existiam antes, mas com tecnologia superior.
Ouvi os sons das batalhas e lembrava os sabres de luz do Star Wars. Uma que vi foi essa abaixo a Haladie. Que é uma forma de espada que existe, e os soldados de roupas escuras seguravam essa arma.






Algumas das lutas lembravam danças sofisticadas. Eles usavam todo tipo de artimanhas para destruir um adversário. Veja um exemplo abaixo, não era algo parado no mesmo lugar, era muito rápido e acrobático. Quase usavam movimentos de acrobatas e eram rápidos e mortais. Eles usavam uma roupa laranja e largas que confundiam os adversários. Era  um exército imbatível, pois os inimigos usavam armas simples e fracas. Era como se fosse uma brincadeira para o exército que possuía tal característica.


Como sempre depois da viagem recebi uma mensagem e logo após uma voz que disse: use açafrão da terra. E andei pesquisando: o açafrão da Terra, também conhecido como cúrcuma, açafrão da índia e gengibre amarelo, é uma raiz da família do gengibre, é antioxidante, bom para o cérebro reduzindo o Alzheimer,  anti-aterosclerótico, anticancerígeno, anti-inflamatório.  Uma dica excelente, e veio do astral. Nem sabia disso. Um detalhe: após ver a guerra do Mahabaratha tive uma mensagem de que uma outra guerra poderia acontecer entre a Índia e o Paquistão, e China em um conflito da Caxemira. E que podemos ter um conflito com uso de bombas atômicas, pois os 3 países possuem tecnologia nuclear e estão em conflito já há algum tempo. E a mensagem logo me chamou a atenção para esse conflito.
Novamente estava em outra viagem lúcida e desta vez estava no meio de uma floresta: na minha frente estava um indígena da civilização maia. Nu e com vários desenhos pelo corpo e entendia tudo que ele falava, é normal quando estamos em viagem astral ou projeção astral nesses lugares que é entender o que as pessoas falam, acho que tem a ver com vidas passadas.
O indígena estava segurando uma pequena bola de borracha, creio eu porque ela parecia maleável. Tinha o tamanho de uma bola de handebol.

Só que era marrom escura. Isso porque a pele dos jogadores era muito escura, quase lembram os indígenas brasileiros. Notei que usavam um coque no cabelo para ajudar nos movimentos. 
Eles não usavam roupas como na imagem acima.

Ele explicava que os melhores sempre morriam, e que ele sempre perdia dos melhores. Você deve saber que quem perdia o jogo perdia a cabeça também. Então, ele me disse que sempre perdia de alguns jogadores  muito bons. [Sorte ou azar?]
Havia, junto comigo, mais alguns viajantes que iriam jogar com a gente. E disse que os indígenas iriam ganhar pela primeira vez e perder suas cabeças.Pois a gente iria tomar uma surra deles!
O legal das viagens é que muito do que sabemos, e que parecem vir de algum lugar que não seja da minha mente, e sim de um registro akáshico universal, que na viagem astral projetada pode interagir com a memória akáshica.
Akasha  é a palavra em Sânscrito para "éter" ou "atmosfera". Além disso, na Língua Hindi, Akash significa "céu" ou "paraíso".
Essas viagens ou projeções são feitas atingindo um tipo de atmosfera especial, é como se você atingisse o Nirvana e depois uma memória que estivesse por ali vem e seu corpo participa, pode ser dirigida por alguns mentores espirituais.
"Todo mundo tem a habilidade de se conectar com a fonte primordial como um ‘detentor de registro espiritual’ e é capaz de chamar a todos seus orientadores multi-dimensionais para receber as respostas de suas próprias perguntas. Você é capaz de ser seu próprio guia, guru espiritual e professor. Sempre que você tiver uma situação problemática ou um desentendimento com um indivíduo, esses incidentes ocorreram antes em outro tempo e lugar." Fonte: 

https://pt.wikipedia.org/wiki/Registros_akáshicos
Essa explicação é bem coerente com o que faço todos os dias, não se trata de que sou especial ou melhor que ninguém, não é isso e nem que estou viajando na maionese, então se fosse viajar na maionese nunca falaria sobre o açafrão, então tem uma lógica e muita gente ignorante entende como se eu tivesse usado drogas alucinógenas. Tenho dito que nunca usei drogas, apenas duas vezes quando usei o chá de Ayhuasca e foi só.
Quando a pessoa cética tem esse tipo de experiência, já tenta logo uma explicação científica, para justificar e logo parte para problemas psicológicos e outras bobeiras dos seres humanos.
O dmt é uma substância que nosso cérebro produz e que está relacionada aos sonhos viagens astrais, mas posso dizer que não é só sonho, quando ativamos o dmt em nosso cérebro abre uma ligação com o prana ou a energia do universo onde propaga os registros akáshicos e ai conectados com essa internet cósmica.
O DMT é sintetizado pelo corpo humano. [carece de fontes] Não existem ainda respostas conclusivas sobre as funções deste DMT interno, tão pouco sobre o órgão responsável por esta produção - função especuladamente dada à epífise neural, conhecida como glândula pineal, mas há, no meio científico, uma série de apontamentos e teorias. Sabe-se que as quantidades de DMT produzidas no cérebro são reguladas pela MAO (monoaminoxidase) e este processo é coadjuvante nos estados alterados de percepção e consciência criados pelo consumo (oral, intravenal ou por vias aéreas) de DMT externo. Fonte: 

https://pt.wikipedia.org/wiki/Dimetiltriptamina
Se nosso cérebro produz essa substância, ela serve como uma forma de conexão com os planos etéreos e isso explica as visões e viagens astrais. Muitas pessoas acham isso insignificante, mas em um futuro quando o ser humano perceber que isso é real, nós iremos começar uma nova era da ciência,  evolução e do conhecimento em nosso planeta.
A memória akáshica é uma forma de sistema universal embutido desde a criação do nosso universo. Isso porque toda informação está associada à luz. Hoje podemos enviar mensagens através da luz ou mesmo em formade ondas através de pacotes de fótons. Se nós conseguimos receber pacotes de informações binárias que podem ser lidos em nossos computadores de forma real, então existe a mesma coisa no universo e pode ser melhor que a transmissão feita por equipamentos elétricos. A tecnologia da natureza sempre é melhor que a do ser humano!
Imagine o seguinte: a memória existe em todas as coisas. Essa memória pode ser transferida ou mesmo memorizada para sempre. Um exemplo é a espuma, ela sempre mantem a memória inicial, sempre que amassamos uma espuma ela  volta ao estado inicial, e isso se chama memória.
Tudo tem memória e seria idiota dizer que nosso universo não tenha uma memória. Então, se as frequências cerebrais podem ser enviadas é completamente possível o universo conter um banco de dados de frequências mentais e cerebrais, porque sabemos que o cérebro funciona por estímulos elétricos.
Pense bem, quando você produz pensamentos, estão sendo guardados em uma memória universal e que um dia poderão ser acessados por alguém ou um médium. Os alienígenas usam essas frequências, e nós seres humanos é que somos muito primitivos ainda para descobrir essas verdades. Com o tempo as pessoas irão perceber e aí evoluirão para a verdade que já é possível para nós! Não temos culpa que a ciência está atrasada, mas nem todos estão evolucionariamente em involução. Alguns evoluem mais que outros, porque não se apegam ao egoísmo.
Uma das certezas é que os céticos nunca querem aceitar a verdade por causa de seu próprio egoísmo. As pessoas precisam parar de pensar através dos outros e descobrir sua própria verdade. Meu trabalho no blog não é fazer pessoas iguais a mim, mas pessoas que busquem suas próprias verdades e usando a minha busca pessoal as pessoas se sentem mais confiantes de que essa realidade patética que vivemos foi imposta por algumas pessoas inescrupulosas e sem nenhum sentimento.

Chat: ContatoAlienígena no Discord

Clique no link abaixo para receber um convite do Contatoalienígena para esse Chat do Discord. Atenção, quem já teve o convite no chat antigo está ainda funcionando! O chat é online e com áudio da para conversar com voz. Nem sempre estou online. Deixe sua mensagem no privado. Até lá.

convite discord